Júlio Honorato: “Novo presidente do PT não pode integrar governo municipal”

Integrante da tendência interna Esquerda Popular e Socialista, uma das várias do Partido dos Trabalhadores/PT, Júlio Honorato assumiu a vereança com a forte convicção de que deve ser o representante dos movimentos sociais na Câmara de Vereadores, afirmando, inclusive, em entrevista recente a este blog, que não pretende atuar como “amortecedor” entre esses mesmos movimentos e o governo municipal – característica que ficou bem demonstrada em atividade recente do MST, que ocupou a Prefeitura Municipal para discutir a reforma agrária.

Articulado com o mandato do deputado federal Valmir Assunção, com a militância do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra/MST e com importantes apoiadores em órgãos estaduais e federais, a exemplo do Incra e da Secretaria das Mulheres, Júlio teve, na semana passada, intensa agenda política na capital baiana, onde conversou com secretários, diretores de órgãos e militantes dos movimentos sociais. Com o deputado estadual Zé Raimundo, ele discutiu o que é, para ele, um assunto que merece atenção especial: o processo eleitoral do PT, que acontece em novembro.

Vereador Júlio Honorato: em busca da unidade do Partido dos Trabalhadores

Vereador Júlio Honorato: em busca da unidade do Partido dos Trabalhadores

Acompanhe abaixo a entrevista, na íntegra:

BLOG DO FÁBIO SENA: O vereador esteve em Salvador fazendo um debate de caráter eminentemente político e partidário com o deputado Zé Raimundo. Sobre o que conversaram?
JÚLIO HONORATO: Eu fui lá dar um abraço e saudar o nosso deputado estadual aqui de Vitória da Conquista, que é o professor José Raimundo Fontes, ele sempre muito elegante, muito simpático, e lá a gente tratava de vários aspectos. Zé Raimundo é um articulador aqui da região e a gente tratava da política, especificamente aqui de Conquista, tratava de projetos sobre a conjuntura regional, de modo especial sobre a estratégia de ação do Governo Wagner para Vitória da Conquista; nós temos muitas ações do Governador Jaques Wagner mas inclusive eu colocava para ele que nós temos hoje elementos fundamentais para dar um salto e um salto de qualidade aqui em Vitória da Conquista, a exemplo do Aeroporto, da Barragem do Rio Pardo, da Barragem do Rio Caculé, da Central de Abastecimento, da Feira do Paraguai, do Shopping Popular, quer dizer nós temos toda uma gama de assuntos que a gente precisa estar discutindo, e um outro aspecto que discutia também com o Deputado é exatamente que nesse ano de 2013 nós temos as eleições do novo diretório do Partido dos Trabalhadores e a gente precisa estar conversando sobre essas questões, precisa estar conversando porque está se aproximando, o Reencantar aqui no município e no Estado é uma força política e aqui no Partido dos Trabalhadores de Vitória da Conquista também é uma força política e a conversa nossa foi mais nessa linha de estar percebendo como eles estão pensando essa questão da sucessão do presidente, ele também ouviu de nós o que estamos pensando e a conversa foi muito boa nesse sentido. Me parece, pela impressão que eu tive, que o Reencantar, aqui em Conquista, não tem perspectiva de lançar chapa, vai buscar unidade, e nós também pensamos do mesmo jeito, o nosso agrupamento pensa da mesma forma, de buscar a unidade partidária; agora, o que nós precisamos é construir essa unidade, qual é a base dessa unidade, quem seria essa pessoa que significaria essa unidade. Primeiro a gente avaliou que é necessário construir essa unidade porque é bom para o projeto, é bom para o PT, é bom para todo mundo; agora, é construir essa unidade, pensando primeiro na questão de quem teria mais possibilidade, quem representaria essa unidade. O que está em discussão é essa questão do nome de quem vai construir essa unidade, de quem vai estar à frente dessa unidade, quem será o interlocutor dessa unidade com essas forças internas, aí que a gente precisa estar dialogando para construir, e não é só o Reencantar; aí somos nós, da EPS, é o grupo das Mulheres, a DS, é o grupo mais ligado ao próprio Governo com Dr. Guilherme, a própria direção já existente do Partido dos Trabalhadores, precisa a gente estar dialogando sobre essas questões para não ter desgaste entre essa questão do PED aqui também em Vitória da Conquista.
BLOG DO FÁBIO SENA: Você chegou a pensar com o deputado Zé Raimundo qual seria o perfil desse nome que representaria a unidade?
JULIO HONORATO: Este foi um ponto inclusive, Fábio, aí já entrando nos detalhes, que nós discutimos com ele. Primeiro que, para construir uma unidade, precisa saber qual é o perfil desse militante partidário, claro que não avançamos muito porque foi uma conversa muito preliminar, mas, por exemplo, na nossa compreensão, ai é nossa compreensão, não tive essa impressão por parte dele, claro que isso aí vai ser um debate que nós vamos estar pautando, mas temos uma compreensão de que o perfil de um dirigente partidário é que ele não teria que estar no governo; esta é nossa posição, porque é preciso compreender que partido é partido e governo é governo; com isso estou querendo dizer que a parceria é a mesma, a sintonia é a mesma, agora tem algumas situações que por você ser do Governo tem algumas situações que o presidente, às vezes, fica muito engessado, perde autonomia, entendeu, talvez seja essa palavra, perde essa autonomia, até porque… – eu sei que isso não acontece em Vitória da Conquista, não é a pratica de Guilherme isso –, mas aí vem uma questão polêmica do partido e você tem um presidente que é um cargo de confiança do Governo, olha qual vai ser o comportamento dele. Eu sei que isso não acontece aqui, mas são prevenções que a gente tem que admitir, é princípio.
BLOG DO FÁBIO SENA: Mas há sugestão de novas pautas da EPS com o Reencantar para aprofundar esse debate?
JULIO HONORATO: Na próxima quarta-feira o pessoal da tendência está descendo para cá, a gente já tem agendado e vamos fazer algumas agendas com o Reencantar, estamos tentando buscar uma agenda com as Mulheres, vamos tentar fazer uma conversa com Guilherme, vamos tentar fazer uma conversa também com o pessoal da DS, conversei com o vereador Florisvaldo e a gente quer conversar com ele e com outras forças aqui de Conquista porque o debate não pode ficar morto. Daqui uns dias vai estar acontecendo o debate do PED e a gente precisa estar discutindo, na racionalidade, tentando discutir para ver se chega nessa unidade.

BLOG DO FÁBIO SENA: Júlio, ao que parece, você pretende dar movimento ao seu mandato para além dos limites territoriais de Vitória da Conquista…

JÚLIO HONORATO: Pois é, Fábio, nós, preocupados de estar movimentando o mandato, que é um mandato participativo, um mantado popular, tem que estar se movimentando no sentido de estar vendo esta questão de outras forças também no Estado. Além do mandato nosso aqui em Vitória da Conquista, temos uma boa participação no Partido dos Trabalhadores do Estado, nossa tendência, nossa corrente, a EPS (Esquerda Popular e Socialista), nós temos hoje em Salvador a Secretaria de Mulheres, cuja secretária é de nossa corrente, Vera Lúcia Barbosa (Lucinha); nós temos o Incra, cujo superintendente é Luiz Gugé, nós temos algo em torno de 40% da direção estadual do Partido dos Trabalhadores do Estado e nós temos um deputado federal (Valmir Assunção), então o mandato faz parte desse conjunto todo, não é isolado, então ele tem essa força política.

Júlio diz que está articulando mandato para ter força política nas esferas municipal, estadual e federal

Júlio diz que está articulando mandato para ter força política nas esferas municipal, estadual e federal

BLOG DO FÁBIO SENA: E tem o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra…
JÚLIO HONORATO: Essa é a base principal, a do MST, claro que com vários outros movimentos sociais, que dão essa sustentação. É que é o pano de fundo principal do mandato então tem essa variedade de forças que nós vimos construindo.
BLOG DO FÁBIO SENA: Você cumpriu uma extensa agenda em Salvador semana passada. O que se discutiu na capital baiana?
JÚLIO HONORATO: Antes de mais nada, eu quero destacar a participação ativa do Mandato de Valmir Assunção nessa minha visita, que foi quem intermediou essas agendas, e um dos assessores de Valmir, que é o companheiro Weldes Valeriano Queiroz, me acompanhou em todas as outras agendas que nós fizemos em Salvador esses dias e que a gente avalia que foi de suma importância, pois conseguimos também abrir novos horizontes, outras perspectivas, outras agendas. Por exemplo, eu estava conversando aqui com Zanata e nós conseguimos uma agenda com Bobô (Superintendente da Sudesb), para nós discutirmos o esporte amador de Vitória da Conquista, o esporte profissional, tudo com intermediação do deputado, que tem uma boa relação com Bobô. Mas, em Salvador, uma das primeiras agendas que nós fizemos foi com o superintendente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), Luiz Gugé. Uma das pautas que nós estávamos discutindo com ele é exatamente a conclusão da chamada Adutora do Chapadão, uma das pautas foi essa. A Adutora do Chapadão, você com certeza tem conhecimento, é um dos maiores investimento do interior de Vitória da Conquista, que está captando água do Rio Pardo e que vai beneficiar 6 assentamentos diretamente e mais de 11 mil pessoas indiretamente, que é aquelas comunidades ali de Inhobim, Veredinha, Cercadinho, Cobra, Cortesia, Salitro, Salobro, uma série de outras comunidades que vão ser beneficiada indiretamente por esse sistema de água; nós estávamos cobrando dele a conclusão da obra, que ficou de entregar agora no mês de março, e parece que vai ter um atraso da empresa, e já vendo com ele, se articulando com Gugé, pra ele articular no Estado a viabilidade para que essas outras pessoas que vão ser beneficiadas possam ter essa extensão da rede, para ser atendidas diretamente. Gugé fez uma ponte do nosso mandato o diretor-executivo da CAR (Companhia de Desenvolvimento e Ação Rural), José Vivaldo Mendonça, nos sentamos com ele para discutir este projeto de extensão e ele, imediatamente, nos integrou ao Comitê Gestor do Água, ficou encaminhar o projeto-executivo para expansão dessas áreas e ficou de ver dentro do comitê quem será o responsável para realizar o projeto de execução, porque uma coisa é o projeto executivo, o outro é quem é quem vai bancar o projeto de execução, ai vai ver se é o Água Para Todos, se é a CAR, se é a CERB ou se é a EMBASA.
BLOG DO FÁBIO SENA: O vereador havia conservado com o blog antes sobre as certidões de cadastros rurais. Esse assunto chegou a ser discutido com o superintendente do Incra?
JÚLIO HONORATO: Claro, Fábio. Não poderíamos deixar de fazer esse debate porque aqui em Vitória da Conquista, sei que parece até um absurdo, mas nós não temos a CCIR, que é a Certidão de Cadastro de Imóveis Rurais; para fazer o cadastro, as pessoas daqui vão lá para Barra do Choça; a pessoa vai vender a fazenda, quer trocar, não faz aqui em Conquista, ai eu falei para ele que tem que fazer um convênio com a prefeitura, que pode disponibilizar um técnico, e o superintendente garantiu que o mais breve possível estará tendo essa ação aqui em Vitória da Conquista. Não posso esquecer, Fábio, um outro aspecto que nós discutimos no Incra: porque nós temos aqui já autorizado pela Secretaria de Saúde a construção de dois Postos de Saúde e uma Unidade de Saúde, no Assentamento Conquista/Rio Pardo, Assentamento Amaralina e Assentamento Etelvino Campos/Paixão, que é aqui na Lagoa das Flores; o que acontece é que como a obra é federal, o Incra tem que autorizar para o município construir e fica emperrado lá no Incra, ai nós fomos exatamente para cobrar, para desburocratizar isso, até porque se nós não conseguirmos isso até esse mês vamos perder o recurso do Ministério da Saúde. É uma questão emergencial.

BLOG DO FÁBIO SENA: Uma das questões mais questionadas pelas comunidades remanescentes de quilombos é a titulação de suas terras. O vereador chegou a conversar com Luiz Gugé sobre esse assunto?
JULIO HONORATO: De fato, temos conhecimento desse grave problema, que é a posse das terras pelos quilombolas e discutimos esse assunto com Luiz Gugé. Foi feito aqui em Vitória da Conquista nas comunidades quilombolas todo reconhecimento de todas essas comunidades e tal, só que parou por aí, então nós fomos discutir com ele que o Incra precisa destravar os laudos antropológicos das áreas quilombolas, exatamente para poder viabilizar o processo de desapropriação dessas áreas para essas comunidades. Até agora só quem tem esse laudo é o Velame, mesmo assim está só no laudo, então, por exemplo, só para você ter uma ideia, Paneleiro, Batalha, Lagoa do Arroz, São Joaquim de Paula, todas essas comunidades estão preparadas para fazer esse trabalho antropológico… Cachoeira do Rio Pardo, a comunidade de Lagoa do Melquíades, Baixa Seca a comunidade Lagoa de Maria Clemência, a comunidade de Boqueirão, todas prontas para fazer esse levantamento e o que precisa ser feito é cobrar do Incra, que tem uma equipe técnica que pode fazer isso, mas o Incra é carente dessa área de Antropologia, aí a gente sugeriu que o Incra pudesse fazer uma parceria com a Prefeitura de Vitória da Conquista, que bote essa coisa para funcionar. O superintendente se colocou à disposição do prefeito Guilherme Menezes para vir aqui para uma audiência e discutir com ele todas essas questões.

BLOG DO FÁBIO SENA: O vereador também esteve em audiência com o diretor-geral de Educação do Governo Wagner, Wilton Cunha. De que temas trataram?
JÚLIO HONORATO: A discussão com Wilton é porque havia um pessoal de algumas empresas, da Delta, da CERB, da MAP, que são terceirizadas da DIREC-20, e os funcionários tinham nos procurado porque estavam com o pagamento atrasado e a gente foi discutir com Wilton exatamente as razões desse atraso e ele lá dizia que um dos problemas – inclusive na hora que ele esteve lá ligou inclusive para um dos diretores dessas empresas terceirizadas –, um dos problemas foi exatamente de documentação do convênio com a Secretaria, mas que isso já foi resolvido e o mais breve possível os funcionários vão ter o seus vencimentos regularizados.

BLOG DO FÁBIO SENA: Mas vocês chegaram a discutir política?
JULIO HONORATO: Wilton é uma espécie de pensador da política, também aqui da região, é um filósofo e faz parte também desse projeto, ajudou a construir o projeto em curso, ajudou aqui em Vitória da Conquista e a gente discutiu também com ele sobre a política conquistense. Ele nos recebeu de forma muito simpática e a gente colocava que ele precisa ajudar o mandato, estar próximo, abrir esses canais de negociações e pensar o próprio mandato. Foi uma conversa muito boa.
BLOG DO FÁBIO SENA: Júlio, você integra a Comissão de Direitos Humanos e de Mulheres na Câmara de Vereadores e, dentro desta agenda, esteve em audiência com a Secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Vera Lúcia Barbosa, a Lucinha. Alguma parceria pode ser esperada?
JÚLIO HONORATO: Pois é, Fábio, tivemos mesmo essa boa conversa com nossa companheira Lucinha, eu dizia a ela que a Secretaria das Mulheres precisa ser uma espécie de interlocutora com as outras secretarias estaduais, abrindo esses canais de negociação exatamente para que a gente possa está trazendo para nossa região várias políticas que nós temos no Estado, como nós temos na CAR a questão da água, como temos na CERB a questão da água para agricultura, educação, saúde e etc. Uma série de elementos que precisam a gente estar fazendo essa ponte e aí a gente discutia lá exatamente porque eu também fiquei aqui na Comissão das Mulheres e a gente ficou de discutir com a secretaria exatamente essa relação, inclusive ela vai estar aqui segunda-feira em uma audiência que ela vai ter aqui e falávamos para ela como é que nós vamos fazer, como a secretaria esta pensando sobre essa questão do combate a violência doméstica, que é um tema que nos angustia, que ainda acontece, ultimamente a mídia tem colocado que a Bahia inclusive é uma dos estados com mais casos deste tipo de crime. A gente discutiu com ela políticas nesse sentido, discutiu com ela também essa questão do reconhecimento profissional e a autonomia econômica da mulher, o que está pensando a secretaria nesses aspectos e foi muito positivo porque ela tem lá alguns projetos importantíssimos, inclusive agora está sendo aberto um edital nessa área do combate a violência contra as mulheres, a presidenta Dilma vai ter cinco casas de apoio e a gente está trabalhando para que uma dessas venha para Conquista. Outra coisa é essa questão da autonomia econômica, então tem alguns projetos abertos e as comunidades que estão organizadas nas questões das mulheres é importante participar, pois o projeto varia até 60 mil reais, para essa área da costura, de artesanato, e as associações que tiverem organizadas podem acessar, participar do processo para conseguir esse financiamento, que é importante.

Fonte Blog do Fábio Sena

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s